quarta-feira, 17 de setembro de 2008

ÚLTIMO DIA DE PAZ

Ultimo dia de paz no aeroporto. É verdade, parece mentira mas é no aeroporto que tenho paz e me sinto normal. Embora haja stress só de olhar para a movimentação de gente, aqui sinto-me em casa. Amanhã já vou voltar à agencia onde o não ter nada para fazer me mexe com os nervos. A permanente presença do chefe sempre para cá e para lá a fumar o belo cigarro, dá cabo de mim pela inercia que emana. Céus! Mas pronto, não posso fazer nada, é ele que me paga. Sou paga para estar presente e para não fazer nada. É a vida!
Ontem quase vi a minha vida andar para trás. Os meu planos são; ficar nesta agência até Novembro mais ou menos e depois sair. Quando a minha cara metade começar a ganhar Euros que se vejam, eu saio para contruir uma carreira brilhante na AIG, a seguradora com quem tenho contrato. E ontem quase tive uma paragem cardiaca quando vi o que esteve prestes a acontecer nos EUA. Fonix! Embora em Portugal a AIG esteja bem, aquilo foi muito má publicidade. Mais vale ligar para um potencial cliente e ele nunca ter ouvido falar da AIG, do que ligar e ele saber perfeitamente quem somos, pelos piores motivos. Mama Mia!
Não vejo a hora de me livrar do mercado étnico, dos russos, moldavos, romenos e etc. Não me interpretem mal, não sou racista. Mas estou tão farta de ter que dizer que, não, não falo moldavo nem russo, embora agência seja de moldavos. Porquê? Porque sou portuguesa! E, porra, eles não moram e trabalham em Portugal? Então porque raio é que não são eles a falar português? Se eu emigro para um país não devo, à partida adaptar-me a ele começando por aprender a lingua? Até parece que o russo e o romeno são linguas globalmente faladas como o francês e o Inglês. Pretenciosos!

1 comentário:

Andreia do Flautim disse...

Deve ser giro tentarem falar contigo numa lingua dessas!