quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

À DESCOBERTA DA KECA

Caros leitores, hoje trago-vos uma estória da minha adolescência.
Vivi a minha adolescência nos anos 80 ( como sabem, sou rapariga para 39 anitos). Nessa altura não era tão comum como agora, iniciar a vida sexual antes dos 18 anos. Os miudos agora são muito precoces. Ora eu..agora você vão gozar comigo..perdi a bela membrana aos 21 anos. Pois é. O meu namorado era músico, baterista. O belo momento foi num palco onde ele costumava ensaiar. Os tempos que se seguiram foram de pura descoberta da keca em si, e muitas vezes tinham lugar na minha casa, pela manhã. Os meus pais saiam para trabalhar e ele entrava, literalmente. Ora numa dessas vezes aconteceu que, o meu pai, que era policia e tinha trabalhado de noite, resolveu regressar a casa pelas 10 da manhã. Lindo! Assumir o que estávamos a fazer era impensável Nem tal coisa me passava pela cabeça! É que, embora eu tenha casado aos 30 anos, para os meus pais eu era virgem. Ah pois é!
Então o que é que vocês acham que nós resolvemos fazer? O desgraçado do meu namorado tinha 1,85, adivinhem onde ele foi parar completamente nu? Ao meu guarda vestidos. Já estávamos a ver o filme todo; a minha mãe a chegar para almoçar ao meio dia, eu e os meus pais a almoçar e ele dentro do guarda vestidos até por volta das 14h00 quando todos saiam novamente. Oh Meus Deuses! Angustia das angustias! Vida cruel!
Então, passado pouco tempo, o meu pai saiu. Foi lavar o carro que estava estacionado à porta de casa. Estávamos melhor. Pelo menos ele podia sair do guarda vestidos. O problema, era que não ia conseguir sair do prédio sem ser visto. Então lembrei-me de ir à janela;
-Oh pai, não queres ir ali à mercearia comprar-me um sumo para o almoço?
O meu pai sempre foi muito resingão por isso, isto foi um tiro no escuro. O mais certo era ele dizer que não.
- O quê ? Bebe água! Era o que faltava! Não vou!
- Vá lá pai! Tá-me mesmo a apetecer!
- Porra! Tá bem pronto.
E lá foi ele a resmungar entre dentes tipo o cão Montley.
Enfim... foi a nossa sorte.
O pobre do meu namorado, branco como a cal da parede. Fugiu pela porta que nem um tiro. Deu a volta ao prédio para não ser visto e correu a bater com os calcanhares no cu, até à paragem de autocarro.
Uuuuuffff!!!!!!!!!!
Esta estória nunca será esquecida. Ainda há pouco tempo foi recordada num jantar de turma de liceu. Rimos todos que nem doidos. Ele a dizer que o meu pai andava armado ( claro, era policia), que sempre tinha olhado para ele pelo canto do olho, que preferia não arriscar...enfim.
Estórias da nossa vida!
Não casámos,namorámos 5 anos e ainda hoje somos grandes amigos.

15 comentários:

Nelson disse...

Foda-se caralho!!!! E sou eu irmão desta coisa!
Vou contar aos pais!!!!!!!!

Gata das Trevas disse...

Olha k tambem tenho coisaslindas pra dizer aos pais sobre ti.

Storm disse...

Imagina alguém a ir ao roupeiro... havia de ser bonito ;P

Andreia do Flautim disse...

Bolas!! Que grande cenário!!

Capitão Merda disse...

Eras fresca...

;)

Mr Nelson disse...

Espetacular...
Ri-me imenso do principio ao fim, porque tive um caso parecido... só que não havia roupeiro... tive de me esconder num movel com
canto-bar!

LOL! viva os loucos anos 80!

Arthur disse...

lol

Este teu post fez-me rir e lembrar outras historias

Agora imagina um cenário idêntico, só que em vez de ter ido parar ao guarda fatos, o herói da historia, igualmente nu, o único esconderijo que conseguiu encontrar foi a banheira, e como protecção apenas conseguiu fechar a cortina…

E o pai (não policia mas quase) a lavar as mão no lavatório da casa de banho sente que a torneira da banheira está a pingar, encontrando-se o herói lá dentro a tremer mais de medo do que de frio, a tapar a hortaliça, não vá o destino proporcionar que se conheça o pai da namorada num altura em que se está sem roupa.

Por sorte, o pai fecha a torneira da banheira para não mais pingar, sem olhar para dentro da mesma…….

anos 80

Anónimo disse...

Lol, que situação!E que sorte!

Cadinho RoCo disse...

Sempre tem um armário milagroso para salvar a stuação ao menos em um primeiro momento.
Cadiho RoCo

Anónimo disse...

Eu como aos 21 já morava sózinha, não tinhas desses problemas... e aonde é que a virgindade já ia eheheheh

beijinho ;)

Arthur disse...

Korrosiva..

Já agora conta lá onde já ia, hehehe

não me (nos) deixes curioso(s)...

Miguel disse...

FODA-SE!!

Se fosse comigo eu fazia exactamente o mesmo :D

Punha-me a andar a 1000 á hora antes que levasse um balazio lol

Bom fim de semana :)

Beijinho

Nelson disse...

OK Ok. Ficamos por aqui...eu nem li esta merda....:))))))

jorge_m. disse...

Olá,
lol, é cada história maluca =P esta foi divertida, mas deve ter sido uma situação na altura horrível, lol!!

bjs

Flux disse...

Só uma nota: Quem teve a ideia de pedir para ir comprar qualquer coisa, fui eu!... e sim: Sempre me olhou de lado... podem acreditar que se fosse apanhado a coisa ia parar a capa do correio da manhã. Na altura não havia 24 horas.