quarta-feira, 22 de outubro de 2008

CHEFE, NÃO QUER SABER O QUE ACONTECEU NA SEXTA FEIRA?

Ontem esteve aqui o meu boss no escritório do aeroporto. Então, aproveitei a sua visita e perguntei:
- Chefe, não quer saber o que aconteceu na sexta feira?
- Diz lá - Respondeu ele sem tirar os olhos do papel onde escrevia.
Contei, contei, contei, com todos os pormenores e no fim:
- Ok.Olha, preciso que perguntes à Tap em quanto fica trazer um cão com estas dimensões ( disse enquanto me entregava um papel escrito).

Pronto, como veem, é assim!

O cão em questão é um cachorro pit bull. Vem com a amada dele de Budapeste e vai apagar 135,00 Eur. É a vidinha!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

SEXTA FEIRA NEGRA

Sexta feira passada tive um dia de cão (pronto, cadela) na sede da minha agência. Tudo por coisas perfeitamente evitáveis se o meu chefe fosse responsável e não uma criatura de 28 anos, em estado de pura adolescência tardia e com as hormonas aos saltos.

Não é que foi para Budapeste e deixou por pagar o BSP ( entidade que nos fornecesse os bilhetes e que tem que ser paga semanalmente)? Tive que lhe ligar, claro. Pedir numero de conta, passwords de bancos, enfim. Paguei o BSP.

Mais tarde a minha colega matrioska enganou-se a escrever o nome de um cliente. Para o corrigir teriamos que pagar 35 Eur. Havia uma forma de escaparmos a essa penalização se tivessemos o nome da representante da Blue Air. Mas acontece que só ele tem esse contacto. Isto não é normal! Lá lhe ligámos novamente. Como não conseguimos contactar a representante, ele ensinou-nos a fazer a alteração sem penalização. Fonix! Mas isto não deveriam ser coisas que nós deviamos saber? Concentra nele todos os conhecimentos para se sentir indispensável quando está fora! Grrr!

Quando o ponteiro do relógio chegou às 18h30, eu nem queria acreditar. Que alívio, pensei eu. Mal sabia, que o meu dia ainda não tinha terminado.

Ia a passar o aeroporto quando toca o telefone:

- Alô linda, é a Vivi do aeroporto. Olha, tenho aqui uma senhora que não fala português, ela fez uma transferência bancária para pagar a passagem do filho e eu não tou encontrando a reserva. ( É brazuca a Vivi)

Esta história pareceu-me familiar. Uma svetlana que não fala português. Humm.... Era uma reserva minha. Fui ter com ela ao aeroporto. Depois de procurar por todas as emissões de um dia , encontrei a reserva do Dimitri. 3 letras fora do sitio...ele nunca ia conseguir embarcar. Ligámos para o representante da Krasair. Nada, não estava.Tinha acabado de sair do escritório, que fica dentro no aeroporto para ir ao check inn da 1ª classe. Lá fui eu. Chegada lá, tinha saído para o check inn normal. Lá fui eu. Chegada lá, tinha saído para o escritório...Fonix! Já eram quase horas de embarque. Fui buscar o homem e fui com ele ao check inn. Surpresa das surpresas; a menina do check inn tinha sido minha colega de faculdade. Disse-me que precisava mesmo de autorização do representante da Krasair. Dei mais umas voltas pelo aeroporto sem sucesso. Nada! O homem para mim tornou-se um mito. Sei que ele existe mas nunca o vi! A coisa estava preta. Resolvemos embarcar as malas do Dimitri e esperar pelo representante que habitualmente vem sempre ao fecho do check inn. O Dimitri tinha 7 kg de peso a mais. Como não havia tempo para fazer contas a quanto tinha que pagar e ele próprio não falava português, só havia uma solução; tirar peso. Expliquei-lhe por gestos que tinha peso a mais e que tinha que retirar coisas. Abriu a mala e tirou 3 sacos de roupa.

Faltavam nesta altura 45 minutos para o vôo sair e nada do representante. Habitualmente vem ao fecho do check inn, habitualmente...mas não naquele dia! Eram 21h15. Então pensei; Estes mafiosos de leste conhecem-se todos uns aos outros, portanto o meu boss deve de certeza conhecê-lo. Liguei-lhe. Rezei para que não estivesse a dormir. Lá é uma hora mais tarde. Musica alta, uma grande animação. O boss estava num bar.
- Chefe, tem o numero de telemovel do representante da Krasair?
- Sim, é o 91........
- Obrigada. E desliguei.

Liguei ao gajo, expliquei-lhe o sucedido e ele autorizou o embarque do Dimitri. Lá foi ele escoltado pela hospedeira que ia para a manga 18 que era ao lado da dele, a manga 19.

Nunca mais faço reservas a Dimitris pelo telefone. Há o risco de eu não perceber nada do que dizem e dar este resultado! Liguem para a sede. Lá falam russo e moldavo!

E pronto. Cheguei a casa às 22h10.

Agora vocês perguntam: Então e o teu chefe não te perguntou para que querias o número do gajo da Krasair? Não te ligou mais tarde para saber o que tinha acontecido?

Meus amigos, nada. Até hoje ele não quiz saber. Aliás, hoje é Terça Feira e ele ainda não veio buscar a chave da sede para entregar à matrioska o que significa que ela tem ficado no minimo meia hora à espera dele de manhã. O homem nunca chega a horas.
Aqui fica mais um episódio da minha vida.