sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

NOTICIA DE ÚLTIMA HORA

EXTRA EXTRA EXTRA EXTRA EXTRA EXTRA EXTRA EXTRA

O meu chefe vai-se divorciar da boazuda da mulher dele!

Já estão separados.

A qualquer momento posso actualizar este blog com novas e frescas noticias.

Oh yes !!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

À DESCOBERTA DA KECA

Caros leitores, hoje trago-vos uma estória da minha adolescência.
Vivi a minha adolescência nos anos 80 ( como sabem, sou rapariga para 39 anitos). Nessa altura não era tão comum como agora, iniciar a vida sexual antes dos 18 anos. Os miudos agora são muito precoces. Ora eu..agora você vão gozar comigo..perdi a bela membrana aos 21 anos. Pois é. O meu namorado era músico, baterista. O belo momento foi num palco onde ele costumava ensaiar. Os tempos que se seguiram foram de pura descoberta da keca em si, e muitas vezes tinham lugar na minha casa, pela manhã. Os meus pais saiam para trabalhar e ele entrava, literalmente. Ora numa dessas vezes aconteceu que, o meu pai, que era policia e tinha trabalhado de noite, resolveu regressar a casa pelas 10 da manhã. Lindo! Assumir o que estávamos a fazer era impensável Nem tal coisa me passava pela cabeça! É que, embora eu tenha casado aos 30 anos, para os meus pais eu era virgem. Ah pois é!
Então o que é que vocês acham que nós resolvemos fazer? O desgraçado do meu namorado tinha 1,85, adivinhem onde ele foi parar completamente nu? Ao meu guarda vestidos. Já estávamos a ver o filme todo; a minha mãe a chegar para almoçar ao meio dia, eu e os meus pais a almoçar e ele dentro do guarda vestidos até por volta das 14h00 quando todos saiam novamente. Oh Meus Deuses! Angustia das angustias! Vida cruel!
Então, passado pouco tempo, o meu pai saiu. Foi lavar o carro que estava estacionado à porta de casa. Estávamos melhor. Pelo menos ele podia sair do guarda vestidos. O problema, era que não ia conseguir sair do prédio sem ser visto. Então lembrei-me de ir à janela;
-Oh pai, não queres ir ali à mercearia comprar-me um sumo para o almoço?
O meu pai sempre foi muito resingão por isso, isto foi um tiro no escuro. O mais certo era ele dizer que não.
- O quê ? Bebe água! Era o que faltava! Não vou!
- Vá lá pai! Tá-me mesmo a apetecer!
- Porra! Tá bem pronto.
E lá foi ele a resmungar entre dentes tipo o cão Montley.
Enfim... foi a nossa sorte.
O pobre do meu namorado, branco como a cal da parede. Fugiu pela porta que nem um tiro. Deu a volta ao prédio para não ser visto e correu a bater com os calcanhares no cu, até à paragem de autocarro.
Uuuuuffff!!!!!!!!!!
Esta estória nunca será esquecida. Ainda há pouco tempo foi recordada num jantar de turma de liceu. Rimos todos que nem doidos. Ele a dizer que o meu pai andava armado ( claro, era policia), que sempre tinha olhado para ele pelo canto do olho, que preferia não arriscar...enfim.
Estórias da nossa vida!
Não casámos,namorámos 5 anos e ainda hoje somos grandes amigos.