quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

CHELAS WILL ALWAYS BE THERE FOR ME

Tinha eu 13 anos quando conheci a vida efervescente do bairro de Chelas. Eu era tããão inocente com 13 anos! Tve uma infancia muito igual à do Carlinhos daquela série "conta-me como foi" da RTP. Com 13 anos tinha a mentalidade de uma rapariguinha com 10 agora. Para mim os seres humanos eram todos iguais, uns com mais dinheiro que outros.
Achei Chelas muito excitante. Só mais tarde no Colégio Moderno, descobri que há seres humanos superiores a outros. Eu, como morava em Chelas, era inferior a todas as criaturas daquele colégio. E não percebia porquê. No final do ano ja tinha percebido. Por isso pedi para sair de lá.
Mas Chelas nem sempre foi como agora. Antigamente as pessoas que andavam no Liceu D. Dinis, estudavam, passavam de ano, chumbavam. Iam para a universidade, ou não. Transformavam-se em pessoas produtivas para a sociedade. Os meninos que andavam nas escolas primárias aprendiam. Agora isso dificilmente acontece. As mães ficam do lado de fora da escola durante todo o tempo que os meninos estão lá dentro. Não trabalham. Fumam, falam umas com as outras, alto, muito alto.
Quando se pergunta a esses meninos o que querem ser quando crescerem eles respondem:
- Como o meu pai.
- E o que faz o teu pai?
- Nada. Mas tem dinheiro. Quero ser como ele.
Ora pois lá está! O rendimento minimo garantido faz milagres. E o trafico de droga também!Para quê querer mais quando a vida pode ser tão simples?
É assim Chelas. E só tem tendência a piorar. Quando morrerem todas as pessoas que vieram da provincia para Lisboa, a quem foram dadas casas de habitação social e ficarem só os renegados da sociedade e os que não querem evoluir....não sei se será muito diferente da Cova da Moura.
Os meus amigos de adolescência deixaram os pais em Chelas e seguiram as suas vidas tal como eu. Os que eram agarrados ao cavalo e à coca, morreram. Só ficaram os parasitas da sociedade. Alguns com familiares bem famosos!

10 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Tive um primo que veio do Luxemburgo estudar para a universidade em Lisboa. Ficou a morar em chelas num apartamento de familiares que já lá não moravam. Bem, passado dois anos voltou para o Luxemburgo porque não fazia cadeiras nenhumas. Volta e meia eram rusgas no prédio e tal...

Tretoso Mor disse...

Lingua de Gata,

Já te leio ha algum tempo quer de comentários teus noutros blogs, quer deste teu cantinho, e hoje resolvi comentar-te.

É uma pena a discriminação social existente. reprovo-a, mas ao mesmo tempo vejo-me obrigado a acietar uma parte, pelos motivos que invocas neste teu texto.

Há cada vez mais gente "encostada" ao que de "borla" lhes é dado, e que cavam um fosso cda vez maior, repercutido través dos filhos.

Nãao sei como isso se pode combater.

São estas TRETAS que me afligem.

Tretices grandes para ti.

(Nota: Vou deixar o endereço do meu blog aqui. o link que vais obter se clicares no meu nome, levar-te-á para um blog onde eu escrevia como co-autor.
http://tretas-da-vida.blogs.sapo.pt/

Capitão Merda disse...

Outros seguiram para Bruxelas...

;)

Miguel disse...

Eu sempre tive uma opinião pouco favorável desse bairro :(

Paula disse...

Não conheço bem Chelas mas conheço algumas pessoas que moram lá. Todas se queixam do mesmo mas sinceramente, não as vejo a fazer grandes esforços para de lá sairem.
Cada um sabe de si e tenho a certeza que lá há muita gente boa. Mas será que se certas pessoas quisessem, aquilo não mudava?
:)
Bjs!

provocação disse...

Eu que sou cusca gostava de saber quem são os famosos :D

Maldonado disse...

Conheço bem Chelas, pois já trabalhei aí perto. Num emprego honesto, claro...
A situação que retratas é típica em todos os bairros sociais de Lisboa, os quais, aos poucos, se vão tornando numa espécie de favelas, onde o crime dita a lei e a polícia entra a medo...

Peter Mary disse...

:) eu estudei em Chelas, no ISEL, tive alguns amigos dai. Isso era de facto um lugar estranho.

Olha se nao for pedir muito, e ja te te ofereceste, sera que me consegues saber quanto custa uma viagem de ida para as Antilhas?

Bjs

Mr Nelson disse...

Fizes-te um belo retrato social de Chelas... como era antes e como é agora... gostei de ler e confesso que não conheço Chelas, mas é muito parecido com o meu ambiente de rua de quando era puto, só que sou de outra zona.

Da gordura à formosura disse...

Olá, tens um desafio no meu blogue, se quiseres responder.
Beijos