terça-feira, 6 de janeiro de 2009

O QUE NÃO NOS MATA TORNA-NOS MAIS FORTES

Já dizem os ingleses - isto sem dúvida soa melhor em inglês - What doesn't kill you, makes you stronger.
Há 4, 5 anos atrás eu era uma pessoa muito diferente do que sou agora. Tinha um blog onde escrevia. Acabei de lá ir e, sinceramente, não me reconheço no que escrevinhava!
Há 5 anos decidi que me queria separar do meu ex marido. Não era feliz. Nós eramos muito diferentes. Não foi uma decisão fácil. Tinhamos uma casa nova, uma filha com 2 anos, enfim, uma vida construida durante 4 anos. As nossas diferenças maiores acentavam no campo financeiro. Eu sempre fui muito poupadinha, gosto de ter o meu pé de meia para os dias dificeis. Ele vive um dia de cada vez. Tudo o que tem, gasta, seja muito, seja pouco. Aliás, nessa altura descobri que até o dinheiro dos meus pais ele já andava a gastar. Eram saídas com amigos, viagens, uma vida que não era a minha. Nem a casa que ambos tinhamos comprado com uma entrada choruda minha, eu devia ter! Afastou-me dos meus amigos. Os meus amigos passaram a ser os dele. Tinha sempre a casa cheia de gente. Enfim, aquela não era eu. Não sei o que me passou pela cabeça para me dexar manipular daquela maneira. Penso, agora, que devia mesmo estar muito doente. Eu era uma pessoa muito depressiva. Tinha depressões ciclicas porque tenho uma deficiência de produção de serotonina no cérebro e isso faz com que no inverno e outono tenha que, por vezes tomar 1 antidepressivo - paroxetina- 1 comprimido por dia. Mas naquele tempo eu andava sempre deprimida.
Quando pedi o divórcio ele bateu-me, gritou comigo, tive que sair da minha casa, ir para casa dos meus pais. Todo o meu ordenado naquele tempo, ia para pagar a casa onde ele estava. Não chegava a ver a côr do dinheiro que ganhava. Não me dava um tostão para a nossa filha. Mesmo assim, nunca disse mal do pai à minha bonequinha. E ela esteve com ele sempre que foi possivel. Não era por causa de um anormal como ele que a miúda ia ficar traumatizada.
Para me dar o divórcio ainda demorou mais de um ano.
Mesmo depois de estarmos separados ainda foi um dia fazer um escandalo à porta do ginásio onde eu andava havia anos. Tudo por causa da venda do meu carro. Ele ia ficar com o dinheiro e eu só lhe pedi que assinasse um papel a confirmar isso. Fazia estes escandalos à frente da pequenina.
Só deixou de fazer estas figuras quando o J. foi atrás dele com um martelo e lhe disse que lhe partia a cabeça ( cornos) se ele voltasse a ter este tipo de comportamento comigo e à frente da pequena.
Quando conheci o J. , demorei algum tempo a convencê-lo de que eu, era a mulher da vida dele. Só consegui que ele vi-se isso quando lhe comecei a dar um desprezo monstro. Os homens realmente...são seres muito estranhos. Quanto mais eu me fazia dificil, mais interessado ele estava.
Hoje estamos muito felizes, temos um puto lindo e terrivel ( sai a mim, claro). O meu maridinho é a criatura mais desarrumada e preguiçosa à face da terra. Mas como temos empregada, tásse bem! Acabaram-se as visitas constantes em casa (uuufff que alivio!), as viagens, a vida sem regras. Temos passado momentos dificeis em termos de dinheiro porque nunca consegui vender a puta da casa e a euribor leva-me tudo. Graças a Deus que está a descer! Férias fora de casa? Há anos que não sei o que isso é! Mas é incrivel como sou tão mais feliz sem dinheiro! E depressões?! Há já algum tempo que não sei o que isso é. Por vezes tenho que tomar o tal comprimido e tive uma pós parto. Mas nunca mais fui tão infeliz !
E porque é que me lembrei disto hoje? Porque ontem vi uma amiga que já não via há 10 anos. Ela está muito doente, com uma grande depressão. E pensei imediatamente em mim há pouco menos de 5 anos atrás.
Afinal o amor cura mesmo quase tudo.
E o meu ex marido casou com uma brazuca que conheceu pela net. Graças a Deus né?!

11 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Bem, ainda bem que agora está tudo bem!

Capitão Merda disse...

Também me daria jeito ter uma empregada, sua capitalista!

:))

Gata das Trevas disse...

A empregada é só 2 x por semana oh captain shit!

Da gordura à formosura disse...

Homens!!!Lol
É exactamente isso, o que não nos mata torna-nos mais fortes. Por vezes temos que tomar decisões difíceis na vida. decisões que embora sejam o melhor para nós, mesmo assim trazem sofrimento. O que vale é que o tempo cura tudo e mais cedo ou mais tarde encontramos a verdadeira felicidade. Acredito que sim, sejas muito mais feliz agora, mesmo com dificuldades financeiras. É como se diz, o amor é cego e nós é que pagamos por isso. O que importa é que te livraste do gajo e agora és feliz.
Beijinhos.

Maldonado disse...

Fiquei sensibilizado com a tua trajectória de vida.
Folgo em saber que depois da tempestada que viveste, está a surgir uma irradiante bonança na tua vida afectiva...

vita disse...

Ainda bem que te livraste a tempo, e sim, eu por experiência confirmo, o tempo em que fui mais feliz com um homem, foi quando ambos contavamos o dinheiro para ir ao cinema, depois de eu ter abandonado uma vida de luxo.;)

Beijo grande

Mr Nelson disse...

Pelo que escreves atingiste o teu nirvana... isso é bom!
Desejo-te as melhores felicidades do mundo para ti e os teus!

Afrodite disse...

:) fico feliz que tenhas conseguido encontrar a estabilidade emocional :)...é sempre bom conhecer "fins" felizes! Olha...obrigada pela tua partilha, não deve ter sido fácil escrever o que escreveste. Obrigada!

Abreijinhos e continuação de muita felicidade :)

jg disse...

Cum caraças, és uma mulher e tanto!!!

anaaaatchim! disse...

Só é pena que uma pessoa tenha que passar pelas merd@s.... e que ainda não tenhas vendido a tua outra casa :(

Nojento disse...

eu vou-me casar com a costa-marfinense que me limpa o barraco.

curto casamentos internacionais.

já agora... a deficiência não é na produção de serotonina no cérebro, mas sim incapacidade dos seus receptores em captá-la (isso sim, provoca euforia).
(isto foi um aparte)