domingo, 22 de fevereiro de 2009

LOIÇA DAS CALDAS E DOIDOS À SOLTA

Na sexta feira à tarde aconteceu algo que já não acontecia há algum tempo. Atendi uma maluca no balcão do aeroporto. Ela queria, porque queria viajar naquele mesmo dia para Nova York.
Já não havia vôos nesse dia, portanto tive que lhe vender um bilhete para o dia seguinte logo pela fresquinha. Aqui fica uma compilação dos factos mais importantes da conversa:

- Queria um bilhete só de ida para Nova york
- A senhora tem cartão de residente nos Estados Unidos?
- Não
- Então o seu bilhete tem que ser de ida e volta.
- Pode ser. Eu não vou voltar. Vou ficar lá!
- A senhora respondeu ao questionário de autorização de viagem para os Estados Unidos?
- Não
- Entao vai ter que responder. Dê-me o seu passaporte.(...) pausa.
Vou ter que lhe fazer algumas perguntas um pouco fora do normal. Peço desculpa.
- Tudo bem
- A senhora consome drogas ou substâncias ilicitas? Sofre de alguma doença mental?
- Não ( mentiu descaradamente! Ela não bate bem!)
- Alguma vez praticou algum acto terrorista? ( Foi aqui que ela descarrilou)
- Não não. Nunca tive problemas desses. Só me quero ir embora porque trabalho na Câmara das Caldas e as outras pessoas que fazem o mesmo trabalho que eu, ganham mais e isso não é justo. Além disso a loiça das Caldas é vendida nas feiras ao ar livre e aquele tipo de loiça faz-me muito mal à cabeça. A senhora conhece? Passo muito mal por causa disso!

Eu nem sabia o que dizer...respondi que sim e resolvi interromper a dissertação da mulher, não fosse ela continuar indefinidamente.

- Pois....mas oiça, se eu não termino o questionário a página desaparece. É melhor continuarmos.
E continuei o rol de perguntas estupidas que se fazem para conseguir viajar para os States.

Por fim dei o bilhete à mulher, juntamente com um questionário válido até 2011 e, esquecendo-me da particularidade da pessoa que estava à minha frente, disse:

- Pronto, aqui tem o seu bilhete e o seu questionário válido até 2011. Se entretanto não cometer nenhum acto terrorista e não se começar a drogar, não precisa de pedir mais nenhum.
E responde-me ela:
- Não, não...a senhora deve-me estar a confundir com a minha irmã gémea ou com a minha prima que se faz passar por mim. Eu nunca tive problemas desses!
Beeeeeeeemmmmmmm!!!!!!!!

Despedi-me dela com um " Então boa viagem" praticamente inaudivel. Tal era o meu espanto!
Quando achei que a coisa não podia piorar, heis que piora!

Fonix, menos uma doida em Portugal! Vai-te!!!!!!!!

10 comentários:

Maldonado disse...

Realmente o teu trabalho dava um filme indiano! :))
Vê-se mesmo que essa senhora não batia bem da tola. Duvido que consiga passar pelo controle fronteiriço americano...

Mr Nelson disse...

Estava a ler e estava a imaginar a estátua da liberdade com uma lembrança das caldas na mão em vez de uma tocha...hehehe!

Andreia do Flautim disse...

Bolas, realmente!!

provocação disse...

Lol, vá para lá vá que é menos uma que cá fica!

Paulo Dâmaso disse...

Lindo, magífico, surreal!
Uma tipa boa para a Liga dos Ùltimos entrevistar! ou o Jel do Vai tudo Abaixo :)

jorge_m. disse...

Olá! =)
Lol que horror, é cada uma, devias era ter chamado os seguranças para a levarem lol mas pronto :P

bjs

anaaaatchim! disse...

Diz lá... é por causa destas coisas que fazes o que fazes... não podes dizer que tens um trabalho monótono ;) hahaha!!

Peter Mary disse...

Tenho cá uma desconfiança que estas pessoas estão na terra para fazer sentir ao pessoal que afinal não está assim tão doido, há sempre alguem pior...

Kruzes Kanhoto disse...

Hum...Pela descrição da conversa a senhora até me parece perfeitamente lúcida!

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doações para criar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com