terça-feira, 29 de setembro de 2009

CAPITULO QUASE-HARDCORE DA MINHA VIDA (Também a não perder)

Decididamente, anything is possible.
Há varios posts atrás, faz agora um ano mais ou menos, falei aqui de uns brazucas que cairam de paraquedas no balcão mafioso onde eu trabalhava. Ajudei-os o melhor que pude. Vendi-lhes passagens aéreas, carro, hotel, guardei-lhes as malas. Ficaram meus clientes. Passada uma semana pediram-me o curriculum porque iam abrir uma empresa em Portugal e queriam-me a trabalhar com eles. É uma coisa em grande, e naquela altura estava a começar. Eu disse que sim porque já sabia do passado criminoso do meu chefe e queria bazar dali a toda a velocidade. Mas não estava desesperada, tinha emprego. Acontece que depois do rolo todo em que me vi, esta oportunidade pareceu-me assim algo de maravilhoso. A minha "salvação profissional".

Acontece que a empresa está para abrir em breve e os homens têm cá vindo de vez em quando. Tenho-lhes tratado de viagens quando precisam, hoteis, carros,enfim, o normal.

Há alguns meses consultei uma cartomante que me disse que o grande chefe desta organização, me queria comer. Não levei a sério porque o homem sempre foi super educado comigo, muito correcto, um senhor mesmo.

Este fim de semana ele estava cá. Eu estava à espera que ele me ligasse a qualquer momento.No sábado à noite estava eu a cuidar da minha quinta no farmville, quando ele aparece no skype. Combinei de me encontrar com ele no hotel onde estava hospedado em Oeiras. Já era meia noite. Quando já estava tudo combinado heis que o homem começa a perguntar , ah e tal com uma noite tao bonita, você aí no computador, não quer vir até cá. Fonix! Pensei, bem, deve ter saído, bebeu, e tasse a passar. Vou dar um desconto, mas porra, não é normal. Nem parece conversa dele.

No dia seguinte, fui até lá.

Falámos sobre trabalho, sobre a estadia dele e não é que passado algum tempo o homem se começa a fazer a mim? Porra não estava nada à espera disto da parte dele. Ah e tal sinto-me atraido por si, você é muito linda, provoca este sentimento nos homens. Você sabe disso, não? E eu; não, não sei, e não esperava isto de si, que se passa consigo? O senhor é casado, eu também, gosto do meu marido, sou feliz, não vou estragar tudo. Eu também sou feliz- diz ele- mas uma atracção é uma atracção.
Já estava desesperada! Já estava a ver que unica forma de ter este emprego era dar uma ganda queca com o homem.O que noutras circunstâncias, tipo; se eu não fosse casada, se ele não fosse casado (relevava esta parte), se ele não fosse o presidente da minha SE-DEUS-QUIZER- NOVA -EMPRESA, não seria nenhum sacrificio, antes seria um previlégio. O homem é UM CHARME. Mas tendo em conta estes factores, provoca-me um grande incómodo.
A atitude dele estava-me a deixar exasperada. Então resolvi partir para a sinceridade, antes que a minha lingua falasse mais rápido que a razão. Oiça, sou fiel, à minha familia e ao meu trabalho. Se o senhor quizer que eu trabalhe para si, tem aqui uma empregada que se entrega 100% à sua empresa. Mais do que isso não. E a seguir proferi a frase de que a minha mãe se iria orgulhar " Sou uma mulher séria". Ora bem, vi na expressão dele que gostou da resposta, mas voltou imediatamente à carga: eu também sou um homem sério, mas é que eu estou muito atraído por você. Eu gosto muito de você. O facto de você não querer nada comigo não influi em nada no resto. Continuo querendo você a trabalhar connosco. Você fica comigo que você vai se dar bem. Estamos a falar de trabalho, certo? - Perguntei eu. De trabalho e do resto. É só você querer. - respondeu ele.
Ai a minha vida! Ainda bem que ele vive no Brasil. Que grande enrascada!
Não farei nada que você não queira - dizia-me ele. Oh ceus!
Nunca, mas nunca me passou pela cabeça que o homem me quizesse pinar! Quando a cartomante disse aquilo, não levei a sério. Para mim era impossivel. Um homem tão distinto, tão....cavalheiro. Fonix.!!! I can't believe it !

Agora, não sei se ele me vai dar emprego assim mesmo. Apesar de ter dito aquilo. Até falámos de salários, de formação, do local de trabalho, enfim, tudo me leva a crer que sim que me vai dar o emprego, mas não sei. Afinal eu dei "um fora nele".
E espero que a formação, caso se concretize, seja em Portugal, senão já estou a vê-lo querer levar-me de mota para o cu de Judas no Brasil. Foi uma das propostas.
Quando nos despedimos ele disse: Ainda vamos fazer grandes coisas juntos. Beeeemmm.

É pá, eu vou mandar este blog para uma editora.

E na sexta feira vou à mesma cartomante ver o que ela me diz disto tudo.

1 comentário:

Mr Nelson disse...

Epá!
Não te quero alarmar nem saber nada da tua vida intíma, mas podes crer que ele vai voltar "à carga". Tu, tal como eu, deves saber que esse género de homens nunca desiste.
Para todos os efeitos desejo-te bom sorte e que consigas ter a tua oportunidade de sucesso na vida!

P.S.: Vê lá se apareces mais vezes no mensseger para pormos a conversa em dia!