quarta-feira, 13 de julho de 2011

DOS HOMENS, DO FEMINISMO E DO AMOR INCONDICIONAL


Tenho vindo a observar, nestes meus, quase, 43 anos de vida, que a criatura " homem", tem vindo, cada vez mais a encostar-se às mulheres. Pode até dizer-se que fizeram de nós, ou tentam com as que de nós deixam, suas criadas. 
Senão vejamos; nós, mulheres, a não ser que optemos pelo celibato, continuamos a ter o trabalho da casa, dos filhos e, da nossa profissão. Se optamos por ficar em casa e sermos como as nossas mãezinhas, temos que ter muito cuidado com o espécime que escolhemos para viver, pois, se se dá ocaso de a coisa dar para o torto, somos nós que ficamos a braços com os miúdos e a pensão de alimentos. Ou então levamos com um casamento falso para o resto da vidinha. 
Ou seja, com esta história da libertação e igualdade, nós ficámos a perder. Talvez a próxima geração já seja diferente. O meu filho, já não vai ser como o pai dele, pois  faço questão que respeite o trabalho da mulher e a trate como igual. O que implica, fazer o mesmo trabalho que ela,  em casa.
O facto de nos termos tornado independentes  e sem necessidade deles ( homens) para nos sustentar, deu resultados surpreendentes. Muitos deles, acham, agora, que podem encontrar uma ótariazita que os sustente. Tenho vários exemplos à minha volta.  Mulheres sós e carentes ficam à mercê de bestas quadradas que as iludem e seduzem com conversa floreada  bordada a poesia de cordel. 
Porque nós, mulheres, mudámos sim, mas não assim tanto. Continuamos a ser as parvinhas românticas que acreditam no amor incondicional de um homem para connosco. Incondicional??? Incondicional quer dizer sem condições, certo? O que implica que seja o que for que o outro faça, nós continuaremos a ama-lo da mesma forma e com a mesma intensidade. Parece-me mais, aqui, ainda acreditar no pai natal. Não digo que não aconteça.Acontece e existe. Também já vi acontecer. Mas é raro, tão raro..... Amor incondicional, temos pelos nossos filhos. Pois mesmo que um dia se tornem serial killers, para mim serão sempre os bebés que embalei, amamentei, abracei, senti o toque. Enfim. Tudo o resto é treta, tanga, floreados sem sentido.
Não tenho nada contra as feministas radicais. Mas não será o caso de pedir a Deus, um transplante de alma para as que  de nós se emanciparam só na sociedade e não no espirito? 

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Dissertações sobre o mundo dos solteiros

Nunca como hoje em dia foi fodido ser-se solteiro.

Antigamente não existiam tantos solteiros com  mais de 35 anos. E porquê? Era de bom tom uma mulher casar-se aos 20-25, e ficar com o mesmo homem o resto da vida, nem que a sua vida fosse um inferno entre paredes. Porque era assim que devia ser. Era normal um homem por os cornos a torto e a direito à sua legitima e era normal que esta fingisse que não sabia, desde que  não faltasse nada em casa. 
Hoje em dia já não é assim. Nós, mulheres não admitimos encornansos e quem não está bem, muda-se. Até o nosso primeiro partilha desta opinião.

E o que leva, hoje em dia um homem a sair de casa depois de anos de vida em comum, filhos, e uma vida estável? Sim, porque os homens, não são como nós mulheres. Eles aguentam tudo. Aguentam a falta de sexo no casamento e o mau sexo porque continuam a procurar fora, aguentam a indiferença, o facto de não amarem a sua legitima, tudo, em prol da sua imagem perante os outros. E só deixam a legitima esposa, caso apareça outra. Eles nunca saiem de casa para ficar sozinhos. E quando saiem....

- Ou a vida se tornou mesmo insuportavel, não existem filhos e ganham bem para viver sozinhos
- Crise da meia idade. Querem ter a certeza que ainda estão aí pras curvas. Ha-de haver uma mulher melhor que a que eu tenho, já não posso aturar os putos, já não lhe consigo olhar pra cara.
- Ganho bem só para mim, pago para não lhe olhar para tromba, que se fodam os putos.
- Ela já não o suporta. E é ela que o põe a correr. Ela ganha bem para ficar sozinha com os miúdos, antes só que mal acompanhada.

E quando isto acontece...que se guardem as solteiras. Depois, há 2 tipos de solteiras/divorciadas; As que estão bem assim, só querem dar umas ao acaso e usam os gajos como outrora nós fomos as usadas e aquelas que estão carentes, não suportam a solidão, estão frágeis emocionalmente e precisam de de alguém. Dentro deste ultimo grupo, há ainda, as que precisam de alguém, não para amar e ter como companheiro, mas para lhes pagar as contas de casa...e as delas. Para estas é fácil demais enganar um totozinho, te-lo em casa e continuar a comer outros por fora. Os homens são tão parvos! Bastam umas palavrinhas doces e uma mulher boa como nunca tiveram para se deixarem levar pelo engano. Ai, ai!

E... há exactamente o mesmo do lado masculino. Aquele homenzinho nojento, que se está completamente  a cagar para a mulher que lhe calhou em rifa mas,  não tem como viver sozinho, e apanhou aquela tolinha ali num qualquer site de engate e agora há que a manter bem segura ( rédea curta!)

É fodido ser-se solteira no sec XXI.

Nunca sabemos o que realmente eles querem. Ou querem dar umas quecas até aparecer algo melhor; ou querem uma criada para todo o serviço. Haverá melhor do que uma gaja que trate da casa, das refeições, da roupa e ainda dê boas quecas? Fonix!!!!  E melhor;  Haverá melhor que uma gaja que trate da casa, das refeições, da roupa  dê boas quecas e ainda pague as contas???? É um achado caros leitores! Um achado!

Melhor sozinha, mesmo.