quarta-feira, 21 de março de 2012

LAMECHICES E AFINS

Odeio lamechices.
Aquela cena do inho...amorzinho,  chazinho, beijinho...bahhhh!!
E outras que tais, que só me dão vómitos.
É pá, peço desculpa mas essa coisa do inho, tira -me a pica toda.
Que se tenha de vez em quando uma manifestação de afecto mais acesa com a nossa cara metade, ainda vá, agora constantemente, inho para cá inho, para lá... que enjoo!
Tem algo de incestuoso uma relação assim. Quase como os casais de antigamente, filha para cá filho para lá. Filho?? Que é isto?

Faz-me confusão aqueles relacionamentos baseados neste tipo de linguagem. Os amuos constantes, característicos de quem usa este linguajar: se por um acaso um se distrai mais um pouco e  não dá a atenção habitual  ao outro; " ai porque nem sabes como eu gosto do café" ou " há duas horas 3 minutos e 20 segundos, que não sei nada de ti". Fonix como é que é possível viver nesta pressão constante?
A pressão de saber, se o outro pensa, em nós se não pensa, o que pensa, se ainda pensa no/a ex....dassee!! Há paciência para isto em pessoas adultas? Relações doentias, obsessivas..

Nem consigo sequer entender como há sexo em relações destas. É possível ter vontade de pinar com uma pessoa que vai passar o tempo todo a chamar nos amorzinho?  Como??  Não me estou a imaginar em pleno acto e de repente a outra pessoa sai-se com um  inho!

Sexo é suposto ser uma coisa sensual, cheia de erotismo. Onde está o erotismo de um qualquer inho sussurrado ao ouvido em plena queca? Onde???!!!

Imagino como será uma relação dessas. Imagino duas pessoas em pleno acto e de repente " ai amorzinho, dá-me com o teu pauzinho! " O que é isto pá? Isto existe??? Fonix! Pauzinho??? Já agora pilinha, vá!

Por amor da Santa!!! :-)))




3 comentários:

fernando salzedas disse...

Tarada!

Gata das Trevas disse...

Qual tarada pá???!!! Não é taradice! Não é, é lamechice pegada!

Nelson Domingos disse...

ehehehehe!!!! a batatinha cozidinha tão tão boazinha!!!!!