quarta-feira, 28 de março de 2012

PAIXÃO OU UM ESTADO FÍSICO EM ESTADO DE ALMA


A paixão por alguém,cega, emagrece, faz caminhar nas nuvens. É tão bom!
Não é possível, biologicamente,  viver em paixão constante, permanente. É humanamente impossível. Está provado cientificamente, que é totalmente inviável alguem viver assim.
E no entanto, é um estado de alma tão, mas tão...elevante...
A paixão trás-nos em constante  ansiedade; as horas a que vamos ver o outro, os minutos que estamos separados. A mera recordação daqueles olhos, daquela boca, leva-nos a sentir mais do que é possível as mesmas sensações  de  quando estamos juntos. É um fogo que nos queima... O sexo tem todo o peso numa relação de paixão pura. A vida gira em torno do momento em que te vou beijar, abraçar, sentir-te, sentir o teu cheiro, a tua pele...o teu corpo no meu...
É um estado doentio. Como se o outro fosse a nossa razão de viver " se me deixas morro" , " és a minha religião" . Enfim...tudo elevado ao expoente máximo do desejo. A minha razão de viver és " tu", e tudo o que me fazes sentir.
A paixão, cega-nos. Leva-nos a um estado tal, que o que vemos pode até nem existir. Mas  tudo faz sentido quando estou contigo.

É perfeitamente perceptível a  outras pessoas o estado de paixão de outras duas. A energia que gira em torno de duas pessoas em estado de paixão, é tão pesada, tão quente, tão densa, que só os olhares trocados entre os dois podem provocar calor no publico mais atento...é surpreendente e absolutamente impossível não sentir, o calor, a atracção....o fogo que emanam.

Somos invadidos por uma quantidade de sentimentos contraditórios.  O nosso espírito confunde-nos, o nosso corpo derrete-nos, a realidade  desvanece-se e só existes tu para mim. Como foi possível existir até este momento sem ti? Sinto o teu cheiro até na tua ausencia, ficáste no meu olhar, na minha pele, nos meus sentidos, no meu corpo!  Como é bom!!!!

E a ausência do outro mata-nos. Deixamos de comer, de dormir, deixamos de nos viver. Porque não é possível viver sem ti. E só de saber que respiras o mesmo ar que eu...e só de saber que este sol também te queima, que a tua  lua é a mesma que a minha...
E até desejamos, não querer tanto, não desejar tanto, mas ao mesmo tempo queremos  querer tanto assim, desejar tanto assim, sentir tanto assim! Não te quero mas desejo-te. Não desejo desejar-te mas quero-te além do limite do que é querer e sinto para além dos meus sentidos um desejo imenso inigualável...mais...muito mais até, do que digo sentir.

 E ...é bom que não vivas  sem mim, porque não quero viver sem ti. Sentimento obsessivo de posse! E até essa obsessão doentia sabe bem. Porque só quero pensar em ti, mesmo que não o queira.Porque só te quero amar, mesmo que não to diga. Porque só tu me preenches e sem ti não sei ser.  Que doença!

Não é boa a paixão. Mas a vida não seria a mesma se não a tivéssemos experimentado pelo menos uma vez.

Quando acaba, fica o amor. Aquele sentimento que nos faz querer bem ao outro, mesmo que ele viva sem nós. Aquele sentimento bonito que nos faz desejar até, estar com a outra pessoa mesmo com os seus defeitos, que acabamos por aceitar e  gostar.

O amor alimenta-nos a alma, pacifica-nos, faz-nos ver a vida a dois, como um todo. O outro é um ser independente de mim, não é parte de mim. Estamos juntos não porque somos iguais, mas porque as nossas diferenças fazem sentido juntas.

 Podemos amar uma vida inteira e ser realmente felizes sem ansiedade nem obsessão.

O amor não mata. Constroi. Alimenta. Liberta-nos.

Mas a paixão queima!
Sentimento destrutivo, construtivo, obsessivo. Quente. Doentio. Ardente.Desgastante...Inigualável!!! Que nos faz sentir vivos e nos mata!!!
A Paixão é nada mais nada menos que,
Um estado físico em estado de alma!
Tão bom!

2 comentários:

Eu disse...

PASSOS QUE TE PERTENCEM... POETISA!


"Pensei que se dissesse todas as palavras que me pesam no peito, me sentiria mais leve. E disse. Juntei tudo e disse. Esperei. Mas tu respondeste e juntos criámos, com a intensidade que lhes demos, um remoinho de emoções que giraram sobre si mesmas e se esmagaram contra mim e me deixaram sem força, sem reacçao e se espalharam por cada célula minha fazendo com que o meu corpo vibre com cada palavra tua, com cada gesto, com cada sonho. Foi então que deixei de ser eu e saí de mim, na ânsia de te ter. E deixei o espirito voar e voar e voar...tentando encontrar-te em todos os locais, em todos os sonhos, e tocar-te e sentir-te.
E foi aí, que te dei a minha alma. Para sempre."

FOI MESMO PARA SEMPRE? TALVEZ EXAGERO DE POETA...NÃO?
:)

Gata das Trevas disse...

Os poetas exageram sempre. Não sou poeta, gosto mais de prosa. As almas pertencem aos corpos onde nasceram, pelo menos pelo tempo que lhes está destinado. Não está nas nossas mãos dá-las assim, a quem queremos. Por isso quando o fazemos à revelia do universo, temos sempre dissabores. E mais não digo.