quarta-feira, 4 de abril de 2012

FETICHE

Estou extremamente comovida com certas pessoas que existem, ainda em pleno sec XXI.
Numa época em que o egoísmo e egocentrismo são imagens de marca, existem alguns grupos na sociedade portuguesa e noutras que tais,  em que determinadas  pessoas se preocupam deveras com partes do corpo de outras.
Toca-me o facto de existirem criaturas  que se preocupam com o cu de outras e o uso que estas lhes dão.
Acho incrivel que existam artistas que façam  musicas que insultam outras pessoas por estas gostarem  de dar uso diferente a esta parte do corpo. Eles usam-na apenas para necessidades fisiologicas, e acham um abuso que existam outros que lhes dêem uso diferente. Preocupam-se deveras com o traseiro dos outros. Embora não perceba o porquê deste fascinio que nutrem pelo cu alheio, não posso deixar de sentir preocupação por estas pessoas.

É um fetiche, só pode ser.

Senão vejamos: o cu não é deles, não são eles que o usam, não têm qualquer direito legal sobre ele, nem sequer são obrigados a ver, então porque raio lhes faz espécie só o facto de  saberem que esse cu é usado de forma diferente?  Expliquem-me!  Não consigo atingir. Serei burra? Não me parece.

O mesmo se passa em relação às partes intimas femininas. Não me causa qualquer prurido o facto de saber que certa pessoa usa de forma diferente da minha, o seu corpo. Não é o meu!!! Eu não mando nela! Nem quero. Tenho mais com que me preocupar.

O que me leva a tirar daqui várias conlcusões:

- Quem se preocupa com o cu  ou outra parte alheia, certamente não tem mais que fazer na vida, pois se tivesse, decididamente não andaria a espalhar homofobia pelo planeta.

- Quem se dá, até, ao trabalho de fazer letras de musicas incitando ao odio e à homofobia,  tem inveja e gostaria que lhe dessem o mesmo uso ao seu proprio trazeiro. Não é possivel construir um ódio tão grande por pessoas se não estiver por tras uma grande dose de inveja.

-  É doença! Não é possivel que alguém se dedique tanto ao estudo do cu alheio, sem que haja por tras :-)) uma obsessão mórbida pelo dito. Desculpem, não é possivel!

E francamente, há que ter vergonha, pois passar de agressor a vitima em poucos dias....Sizzla, não enganas ninguém amigo...preto homofobico? Tá bem tá!!!! Quer dizer, um gajo que devia, ele mesmo, lutar contra a descriminação, pela cor da sua pele...!Humm... Ainda te vamos ver no Principe Real!




Sem comentários: