sexta-feira, 23 de março de 2012

EXPLICAÇÃO CIENTIFICA DA FALTA DE ENERGIA MASCULINA

Já há uns anos que me dou conta que nós mulheres temos muito, mas MUITO,  mais energia que os homens. E quanto mais falo com outras mulheres sobre o assunto, mais me convenço, que é verdade. Não, para aqueles que me conhecem pessoalmente, não sou eu que sou hiperactiva, são os homens que são umas lesmas.
Lendo livros antigos e vendo filmes de época, a impressão que me dá é que nós mulheres, evoluímos, como convém à espécie humana,  e eles, homens, retrocederam. Só pode. E tudo isto aconteceu em menos de um século. Sempre pensei que fossem precisas centenas de anos para que se notasse alguma evolução ou retrocesso em qualquer espécie animal. No caso do bicho homem foram apenas algumas décadas.

Há menos de um século, os homens eram donos e senhores da casa de família. Eram eles quem traziam o sustento para casa e era absolutamente inadminissivel  que a esposa trabalhasse. Ficavam deprimidos se não conseguiam ter este papel  mas, nem assim, a senhora trabalhava. As mulheres não podiam votar, não podiam viajar sem consentimento do marido, enfim...todas sabemos o que o nosso género passou ainda não há muito tempo. Com a evolução dos tempos as coisas foram mudando. Mas lembro-me que, há menos de 40 anos, os homens deixavam, sim a mulher ter uma profissão, mas era inadmissivel que ganhassem mais que ele. Nem pensar! Que vergonha!  De alguma forma, tenho pena que esse modo de pensar não se mantenha hoje em dia. A espécie "homem" sofreu um grande retrocesso na sua evolução e penso que esse facto se deve à falta de motivação. O facto das mulheres se terem revelado capazes de trabalhar  e serem boas profissionais ao mesmo tempo que são boas mães,  boas donas de casa e boas amantes, levou a que o pobre espécime fosse perdendo o seu elan vital.
Hoje em dia o bicho homem, pobrezinho, cansa-se facilmente. Depois de um dia de trabalho, que muitas vezes nem  8 horas chega a ter, ao pobre, só lhe apetece dormir. Precisam de dormir a sesta. Coitadinhos. A seguir ao almoço eles têm que dormir a sesta! Repôr baterias. Acordam já cansados, são incapazes de fazer duas coisas ao mesmo tempo e pensar em várias enquanto as fazem. Não cabe na cabeça de um homem que é possível dar banho aos filhos enquanto o jantar se faz. Não cabe na cabeça de um homem que se as suas roupas não se engomem sozinhas. Muito menos, coitadinhos, são capazes de pensar que depois de tomar banho haja a necessidade de arrumar a roupa que fica no chão.
O que me faz mais confusão no retrocesso deste género é a falta de ambição que tomou conta deles. Ou seja; se  o que a minha mulher ganha é  suficiente para nós, nem preciso de me preocupar em querer ganhar mais...capice?!  Mas há pior, estes ainda com um lack of self esteem mais preocupante: se tenho quem me sustente para quê procurar emprego? Lets live of poetry!
E, estranhamente há aqueles que trouxeram do  passado a lamechice crónica feminina tipica da época trovadoresca " não me dás atenção, só te preocupas com o trabalho, eu também sou gente! " Meu deus!!! MEU DEUS!!! O que é isto???? Onde é que nós estamos? Onde está o orgulho masculino??? Queremos HOMENS meus senhores! HOMENS que nos tratem como mulheres e não como maezinhas! Queremos amantes que nos fodam, não coisinhas sem sal com falta de amor próprio e carências sem sentido.

Será que isto se passa só com o homem português? É porque se é assim, então a culpa é do Salazar. Se o cabrão do gajo nos tivesse deixado entrar na 2ª,  guerra esta merda agora era diferente.O problema da geração a seguir à do meu pai, é sem duvida falta de tomates! Nasceram sem tomates porque a geração anterior não gerou testosterona suficiente.Todos sabemos que a  agressividade, aquela  coisa de macho, homem, gajo, vem dessa substancia. Ora, como os nossos pais não a produziram na queca que lhes deu origem, saíram todos uns frouxos!!!! Aí está!!!  Eu sabia que havia uma explicação cientifica.

É por isso que gosto de escrever.Os pensamentos ganham lógica e tudo passa a fazer sentido.

quarta-feira, 21 de março de 2012

LAMECHICES E AFINS

Odeio lamechices.
Aquela cena do inho...amorzinho,  chazinho, beijinho...bahhhh!!
E outras que tais, que só me dão vómitos.
É pá, peço desculpa mas essa coisa do inho, tira -me a pica toda.
Que se tenha de vez em quando uma manifestação de afecto mais acesa com a nossa cara metade, ainda vá, agora constantemente, inho para cá inho, para lá... que enjoo!
Tem algo de incestuoso uma relação assim. Quase como os casais de antigamente, filha para cá filho para lá. Filho?? Que é isto?

Faz-me confusão aqueles relacionamentos baseados neste tipo de linguagem. Os amuos constantes, característicos de quem usa este linguajar: se por um acaso um se distrai mais um pouco e  não dá a atenção habitual  ao outro; " ai porque nem sabes como eu gosto do café" ou " há duas horas 3 minutos e 20 segundos, que não sei nada de ti". Fonix como é que é possível viver nesta pressão constante?
A pressão de saber, se o outro pensa, em nós se não pensa, o que pensa, se ainda pensa no/a ex....dassee!! Há paciência para isto em pessoas adultas? Relações doentias, obsessivas..

Nem consigo sequer entender como há sexo em relações destas. É possível ter vontade de pinar com uma pessoa que vai passar o tempo todo a chamar nos amorzinho?  Como??  Não me estou a imaginar em pleno acto e de repente a outra pessoa sai-se com um  inho!

Sexo é suposto ser uma coisa sensual, cheia de erotismo. Onde está o erotismo de um qualquer inho sussurrado ao ouvido em plena queca? Onde???!!!

Imagino como será uma relação dessas. Imagino duas pessoas em pleno acto e de repente " ai amorzinho, dá-me com o teu pauzinho! " O que é isto pá? Isto existe??? Fonix! Pauzinho??? Já agora pilinha, vá!

Por amor da Santa!!! :-)))




terça-feira, 20 de março de 2012

DONT FUCK MY LIFE, I CAN DO IT BY MYSELF

Já  cansa esta cena das greves. Fonix! Cansa como o raio!

Não é que não concorde com as reivindicações, subscrevo a 100% ( nalguns casos), o que me  deixa mesmo fucked up é o facto de já estar provado, mais que provado que FAZER GREVE NÃO RESOLVE NADA!

Toda a gente sabe que quando se faz greve, não se recebe. Fala-se, aqui de pessoas a quem já foi cortado o subsidio e férias e o subsidio de Natal. Não trabalhando, vão perder mais dinheiro. O país que precisa de rentabilidade vai perder dinheiro. E não vão resolver nada! Vamos todos ficar a perder mais ainda.

Não entendo, juro que não entendo. Noutras cirucunstâncias entenderia, nestas não.

Concordo que alguma coisa precisa de ser feita, mas alguma coisa radical. Peguem fogo à assembleia da republica. Os bandalhos que para lá andam são todos farinha do mesmo saco. Este país não tem salvação. Tragam a monarquia de volta. Haja alguém que ame este país de coração. Alguem que olhe que tenha nascido com Portugal nas veias, que lhe corra no sangue. Os parvalhões que governam  só sabem coçar para dentro. É doloroso ler o diário da républica e ver as nomeações, os ordenados e os subsidios.Saber o que se passa na assembleia, saber como nos comem nos impostos. As despesas as viagens, tudo. NÃO DÁ MAIS!!!

Por isso, gente deste país, não afundem mais do que já está, este jardim à beira mar plantado. Se querem fazer asneiras, façam - nas bem feitas, já dizia alguém que muito admiro. Se é para fazermos merda, façamos merda a sério. Arrasemos com eles. Levemos a tribunal quem nos pôs nesta situação. Já houve quem o fizesse na Europa. Porque não aqui?

E tenho a certezinha absoluta que mesmo que um dia a extrema esquerda chegue ao poder, vai ser tudo igual. Não há diferença.

Não é com greves e manifs que lá chegamos. Os gritos entram-lhes por um lado e saiem por outro.
Quem não está bem, que se mude. Diz ele. Pois bem.
Eu não me mudo, mas só peço que me deixem trabalhar.
E com greves não consigo.