sexta-feira, 11 de novembro de 2016

The Facebook Trouble


Recordo com alguma nostalgia o ano em que abri este blog. 2008. Ano de boa colheita em termos de inspiração. Marca talvez, a ultima vez  em que fui realmente feliz trabalhando por conta de outrem, o que não deixa de ser fantástico uma vez que  trabalhei para a máfia moldava. Ah poize! Para quem ainda não me conhece, fique a saber que a minha vida, dava, realmente um livro. E digo um livro porque considero que a leitura nos entra pelos poros enquanto que os  filmes apenas pelos olhos. Não falta nada; Amor, Sexo, policia, intriga. Tem tudo.

Poize! Quando iniciei esta aventura bloguistica não existia ainda Facebook. Exitia Hi 5, mas a humanidade ainda era livre de se peidar sem necessidade de partilhar com o universo.  Para dar a conhecer  esta importante combustão  do metabolismo humano, tínhamos que abrir o blog, escrever em letras garrafais: ACABEI DE ME PEIDAR, e depois visitar alguns outros blogs, onde comentávamos na esperança de que essas pessoas chegassem ao nosso e vissem que tínhamos soltado o nobre gaz. Não havia directos, por isso era bem provável que o nosso flato  só chegasse ao  conhecimento publico algumas horas depois. 

Neste momento a flatulência humana e outros factos que tais são partilhados em  real time com todas as pessoas que fazem parte do nosso circulo de amizades, com seus amigos e quem sabe, com quem mais. Chegamos ao ponto de dizer antecipadamente de que cor será o nosso próximo flato visto partilharmos o nosso pequeno almoço almoço e jantar. Que é o mesmo que dizer “ Ah, com que então a comer ovos mexidos...hás de peidar amarelinho mais logo” ou “ Que maravilha, a comer ostras...Belo flato com cheiro a algas logo mais.” ´E assim por diante.

O aparecimento do facebook na sociedade portuguesa trouxe me alguns constrangimentos.
Se bem se lembram eu escrevi este blog, não apenas como um diário da minha loucura, mas também como forma de recordar alguns momentos épicos da minha vida. Momentos esses passados com pessoas....pessoas com quem pensei nunca mais ter contacto na vida....pessoas essas que voltei a encontrar no facebook.

Comecei por partilhar passagens dos meus escritos nesta rede. Até concluir que se algumas das pessoas com quem partilho memórias talvez não ficassem muito felizes por saber que as suas vidas eram lidas em vários pontos do mundo. Então decidi que tinha 2 hipóteses: ou remover amizade  dessas criaturas ou reverter para rascunho essas passagens.

Senao vejamos:

Elsa. A amiga que me criticava por ter tendências para homens classe operaria quando ela mesma se casou com uma criatura que vestia um fato de treino Adidas aos fins de semana. So damn chunga!!!!

Leila; a amiga que  começou a fumar aos 30 anos na passagem de ano 97/98 e marchou 2 marmanjos numa noite sendo que um deles nao tinha dentes da frente em cima e os de baixo estavam todos podres. A boca deste animal era um buraco negro nauseabundo. Mas ela mamou lha  metade da noite.

Rute: A gaja que  tirou a virgindade ao meu irmão na casa dos meus pais no quarto  ao do  deles.

O meu irmão: Siiiimmm ele esta em muitos posts....e não, não ia gostar nada....

António  AKA Mortes – O gajo que me tirou a virgindade no palco de  um  clube onde ensaiava ( era baterista  numa banda)  O gajo que teve que se esconder dentro do meu guarda vestidos para não levar um tiro do meu pai. Escapou por muito pouco....

Carlos: AKA  Forra – O gajo que era filho de vendedores ambulantes e com quem eu mantinha  romance tipo Romeu e Julieta porque o meu pai era policia da câmara. Este era trolha..pois claro....

As irmãs do Carlos AKA Forra – São todas minhas amigas no face...não iam gostar de saber que, ah  e tal, ela fala do meu irmão nestes termos!!!! #QUEMEQUEELAPENSAQUEÉ?!! #VACACONVENCIDA

É complicado senhores...é complicado....

Poizé!  No facebook só eu é que tenho passado. O resto dos meus amigos apenas passou pelos anos sem nada de relevante. Um passado sem mácula.   Como cada um tem o direito a viver a sua vida como quer, sem olhar para trás, tomei uma decisão que considero a mais acertada.

Não quero deixar a minha vida em rascunho. Não quero remover as criaturas que sao parte dela. Portanto-..alterei o link. Assim, novos leitores podem ler as minhas aventuras. Os outros..I am so sorry....#GAMEOVER!